terça-feira, 28 de julho de 2009

J'ai un job!

Faz pouco mais de duas semanas que eu e o Wal começamos efetivamente a procurar emprego. Além de que só ver o dinheiro indo embora não é nada legal, a gente também já estava sentindo falta de uma rotina, sabe, de ver alguma coisa concreta acontecendo. Então, começamos a procurar ofertas de emprego em alguns sites (Craig's list, Jobboom, Monster etc) e enviar nossos currículos para as vagas que nos interessavam. Mais tarde, cadastramos nossos CVs no Jobboom e no Monster.

Procurar emprego aqui no Canadá é bem diferente de procurar emprego no Brasil. Primeiro, o formato do currículo não tem muito a ver com o nosso brasileiro. Segundo, existe a famosa lettre de présentation. Basicamente, você deve redigir uma para cada vaga ou possível empregador. Dependendo do tipo de vaga que você procura, a lettre de présentation nem é solicitada ou não é tão importante enviá-la, mas para as vagas que exigem certa qualificação ela é bem importante.

No meu caso, que tenho formação em Letras (português/francês) e experiência como professora, revisora e tradutora, a procura por emprego aqui se mostrou mais trabalhosa do que eu pensava, porque, dependendo da vaga para a qual eu postulava, eu tinha que fazer alterações no meu objetivo profissional. Então eu cheguei a formular três modelos de currículo que, acredito, atendiam a essa necessidade. A diferença básica entre cada um deles se deu no objetivo profissional mesmo. No primeiro modelo, enfatizei minha busca por vagas relacionadas ao ensino da língua francesa e/ou portuguesa; no segundo, destaquei minha busca por vagas relacionadas à tradução e à revisão de textos; e no terceiro, eliminei o subtítulo "Objectifs professionnels", o que, segundo alguns guias de elaboração de CV e cartas de apresentação a que tive acesso*, deve ser feito quando você não tem um objetivo específico ou sua experiência de trabalho não te conduz a um tipo determinado de vaga. Esse último currículo, eu enviava para vagas de recepcionista bilíngue, secretária e derivados.

Quanto à carta de apresentação, eu elaborava uma nova para cada vaga ou empregador. Digo vaga ou empregador porque, muitas vezes, não temos acesso às informações do empregador, então a carta fica meio desfalcada. Mas todas as vezes eu procurava o máximo de dados possíveis sobre o empregador, mesmo que fosse só o nome da empresa e o endereço. Isso é muito importante na minha opinião, porque demonstra seu interesse específico naquela empresa. O melhor mesmo é dar um jeito de descobrir o nome da pessoa que vai receber seu CV e sua carta de apresentação e que será responsável por te selecionar ou não e endereçar a carta de apresentação a ela. A elaboração das cartas de apresentação é a parte que dá mais trabalho na busca por emprego aqui, mas, depois de redigir umas tantas, você pega o ritmo da coisa e consegue aproveitar o texto utilizado para uma vaga em outras do mesmo tipo, sendo necessário somente fazer algumas pequenas alterações.

Outra coisa que pode fazer uma grande diferença é a carta de recomendação, que não temos no Brasil, usualmente. Trata-se de uma carta redigida pelo seu último empregador (ou antigos empregadores) dizendo coisas legais a seu respeito, resumindo, que você é uma pessoa que vale a pena contratar. Já ouvi dizer que há empresas aqui que podem pedir até quatro cartas de recomendação (é lógico que isso está relacionado à experiência de trabalho de cada um), mas até agora não vi ninguém pedir nenhuma carta. Na verdade, assim como a carta de apresentação, a de recomendação não precisa ser solicitada para que você decida enviá-la. Eu, antes de sair do Brasil, fiquei enrolando um tempão pra pedir pra minha ex-coordenadora redigir uma carta de recomendação pra mim, coisa que ela já tinha se oferecido pra fazer. Mas era tanta coisa pra resolver antes de virmos que eu acabei decidindo que, se alguém aqui me pedisse uma carta de recomendação, eu mandaria um e-mail pra ela e a gente resolveria isso em dois tempos. Até agora, não precisei.

Foi então que, depois de uma amiga brasileira que já trabalhou numa escola de línguas aqui em Montréal ter me sugerido que eu levasse um currículo meu a esta escola, lá fui eu entregá-lo, o primeiro que eu encaminhava pessoalmente. O Wal foi comigo e ficou me esperando do lado de fora. Peguei o elevador e a porta já se abriu na recepção da escola. Então, me apresentei à recepcionista, muito simpática, e disse que uma amiga que já tinha trabalhado ali havia me recomendado a escola e que, por isso, eu estava deixando meu CV e uma carta de apresentação (a carta, endereçada ao dono da escola, junto com o CV dentro de um envelope pardo). Ela agradeceu toda sorridente e eu fui chamar o elevador pra descer. Minha sorte foi que esse elevador da escola é muuito lento, então, enquanto eu esperava o bendito chegar, eis que avisto um senhor a caminho da recepção. Na mesma hora a recepcionista me disse que aquele era o dono da escola e me perguntou se eu não gostaria de ser apresentada a ele. Eu não poderia perder essa oportunidade. O senhor já veio também sorridente na minha direção (adoro pessoas descompromissada e verdadeiramente sorridentes) enquanto a recepcionista me entregava de volta o envelope que dei a ela. Já fui tirando meu CV e a carta de apresentação de dentro do envelope e me apresentando ao dono da escola. Disse novamente que a escola me havia sido recomendada pela Débora e que seria um prazer trabalhar ali. Ele me perguntou rapidamente que tipo de aulas eu dava e eu respondi que dava aulas de francês (meu foco naquele momento, já que achar uma escola de línguas aqui que tenha turma de português aberta não é muito comum). Aproveitei e disse que eu também tinha experiência como tradutora enquanto ele folheava meu CV. No final, ele disse que a escola sempre está à procura de novos professores e que, caso uma oportunidade surgisse, ele entraria em contato comigo. Saí de lá satisfeita com o modo como fui recebida, mas disse pro Wal que eu achava que, se ele me chamasse, seria a médio ou longo prazo. Beleza.

No dia seguinte, cá estou fazendo nosso almoço enquanto o Wal olhava meu e-mail pra mim em busca de alguma novidade. Daí ele diz "e aí, tá a fim de começar a trampar?". O dono da escola tinha me enviado um e-mail dizendo que, já para a semana seguinte, ele tinha uma turma pra mim (para substituir uma professora que entrava de férias) e que, se eu tivesse disponibilidade e interesse na vaga, que eu entrasse em contato o mais rápido possível. Almoçamos e liguei pra ele, que me pediu que eu estivesse lá no dia seguinte às 9h da manhã para conversarmos e para que eu conhecesse a professora de francês que estava saindo de férias. Isso foi na quinta-feira passada, dia 23.

Na sexta-feira, depois de me deixar tomando um chá de cadeira de uns 20 minutos, eu, nervosa, como sempre, nessas situações de antecipação, fui me acalmando e, quando ele entrou na sala, eu já estava tranquila. Eu sou sempre assim, tenho esse nervosismo de véspera que some na hora do "vamo vê". Com meu CV em mãos, ele me perguntou algumas coisas sobre a minha formação, se meu diploma era universitário, sobre as línguas que eu falava, onde e como eu tinha aprendido. Ele não tinha me perguntado nada sobre minha experiência de trabalho até o momento, mas resolvi, como boa faladora, aproveitar o gancho da explicação do meu francês pra falar da minha experiência de trabalho como professora de francês. Terminadas as perguntas, eu disse que, se ele quisesse ver, eu tinha comigo as comprovações de tudo que eu havia colocado no meu CV. Ele disse que queria ver, sim, então eu comecei mostrando meu diploma. A sorte é que, na mesma semana, mandamos fazer as traduções de alguns documentos nossos pra dar entrada na universidade aqui, então mostrei a tradução do meu diploma e do meu histórico escolar (que ele pediu pra copiar). Depois ele não quis ver mais nada (eu tinha levado a pasta em que eu organizei todos os documentos relativos à minha formação, experiência de trabalho, certificados etc) e pediu pra eu preencher uma folha com os dados para a contratação, informando que não se tratava de um contrato anual, mas que eu seria chamada à medida que houvesse turmas pra mim, e que a hora/aula que me propunha era um valor inicial, que seria revisto mais pra frente. Achei bom mesmo assim, porque já era a primeira oportunidade de trabalhar na minha área e mostrar meu trabalho. Em seguida (tá acabando, gente), fui apresentada à professora de francês que estava saindo de férias e me explicou tudo sobre a turma que eu iria pegar, os livros utilizados etc. Saí de lá contente da vida, não só pelo emprego novo, livros em mãos, mas por ter sido tão bem recebida (é bom quando isso acontece, né?).

Ontem foi meu primeiro dia de trabalho. Muito legal! A escola tem sempre turmas pequenas, de no máximo 5 alunos, e fica no Vieux-Port de Montréal, então todos os dias vou passar em frente à Basilique Notre-Dame pra ir pro trabalho, o que ontem provocou em mim uma sensação engraçada. É que, saindo da escola, eu avistei várias pessoas com máquinas fotográficas em punho (essa é, talvez, a área mais turística de Montréal), e isso me fez refletir sobre a minha nova condição aqui, de residente, e fiquei feliz com o rumo que as coisas têm tomado.

* Quem estiver interessado nos guias de elaboração de CV e carta de apresentação (um deles é da UQÀM), é só me deixar o e-mail que eu mando!

Becs, B.

15 comentários:

Celso - Brasilia disse...

Bon jour m'amie Bresibécois,

Bravo pour ton job, c'est une conquête une brésiliene enseignant du français au Quebec. J'ai étudié le français à école Point3 (Vieux port au coin de la rue Saint Paula/Saint Pierre)anneé derniére et j'ai aimé beaucoup Montréal.
Je te souhaite une très bonne chance dans votre nouveau Job. Peut-être, je puisse etudier avec vous a la prochaine fois.

Je vais suivre votre "Blog" à partir de maintenant.
Que bon-yeu regarde pour ton job et pour ta familie,

Au revoir

Celso Arrais - Brasília

CHUCHUS disse...

Olá Bárbara!!!
Que bom que vc já começou a trabalhar! Boa sorte...
Beijos, Ju.

"Nossa Casa no Quebec" disse...

Olá!!! tudo bem? Parabéns!!! Muito sucesso!!! gostei muito do seu testemunhal... obrigada por dividir conosco. Você poderia me enviar os guias? será muito útil. muito obrigada! chezprest@gmail.com Abraço!

LiliX disse...

BABIIIIIIIIIII MINHA ÍDALA!!
QUERO SER Q NEM VOCE QUANDO EU CRESCER!!!!
:D

Rapaiz...essa foi em tempo recorde hein? Cara vc deve falar francês móóóiiiiito bem...(anotação mental: não falar seu francês tupiniquim perto da Babi)

Meu! vou abusar dos seus serviços e pedir umas acessorias no meu francês macarrônico do meu c.v. Pode ser?

Me manda um email q eu te mando o c.v q eu já fiz aqui! (lidiabarreiros@gmail.com)

ps. TOU MEGA FELIZ POR VCS! mais doq merecido! Viu como é bom correr atrás dos nossos sonhos?
;)

os vejo em 21 dias.

Harley disse...

Parabéns!!
Eu gostaria de fazer um outro pedido, vc poderia me dar detalhes desse curso de idiomas, pq tava querendo fazer um curso em montreal!!
Mas não sou residente permanente seria como estudante ou turista mesmo!!
Muito agradecida!!
harleymartins@gmail.com

Fernanda disse...

Oi Babi!!! Parabéns pelo emprego!!! Puxa que legal que vc está trabalhando como professora de Francês!!!! Recebi seu e-mail, muito obrigada! A vida está bem corrida por aqui, vcs que já passaram por isso sabem como é rsrsrs Mas pode deixar que vou entrar em contato com vcs quando chegar aí para poder conhecê-los pessoalmente.

Bjs
Fernanda

Antonio e Paty disse...

Olá Babi

Gostaria de receber os guias de elaboração de CV e carta de apresentação. Meu e-mail é patriciacoelho2@yahoo.com.
Agradeço sua disponibilidade em ajudar... super legal a iniciativa.
Boa sorte no novo trabalho!

Paty

giselle disse...

Bonjour Babi,tudo bem? Meu nome é Giselle, moro cerca de 3 meses em Sherbrooke...Acompanho alguns blogs e gostei muito de sua postagem. Desejo muito sucesso em seu novo emprego:)
Vou começar a francisaçao em agosto e gostaria de receber os guias...vc pode me enviar?...será muito útil.Meu e-mail é : giselle.maciel@gmail.com
Merci beaucoup!
Giselle

Celso - Brasilia disse...

Merci pour tes comentaires sur mon "Blog"! J'ai dèjá deposé ma demande à São Paulo (Federal), J'espère l'en reussir vraiment!

A bientôt.

Aninha & Lior disse...

Querida Babi,

Parabens!!!!

Recebi seu email...ficamos muito felizes com a noticia...

Agora temos que comemorar, hein...?

Bjos,

Aninha e Lior

Bea disse...

Olá,

não sei se é o primeiro post de vcs que leio... (é que são muitos blogs) mas fico feliz de ver mais um brasileiro (no seu caso 'a') conseguindo conquistar seu espaço.

Parabéns! É uma oportunidade que começa a tomar forma conforme as aulas vão ocorrendo né?

Boa sorte e bom trabalho!! :)

Ah, e eu fiquei interessadíssima!! Pode me passar?? Je remercie beaucoup! :)

bvmartinez@gmail.com

Brigadinha, t+

Vanessa disse...

Olá Bárbara.
Parabéns!!!
Você pode nos enviar os modelos?
Obrigada.
Vanessa, Saulo...e Margot - Destino Gelado.
www.vanessasaulo.blogspot.com
v.attisano@hotmail.com

Aline e Jório disse...

Parabéns por aqui também!!! Fiz menção ao blog de vocês na minha última postagem... Propaganda é a alma do negócio!!! rs
Beijos!!!

LiliX disse...

obrigada Babiiiiiiiiiii!
Ah que fofa! Valeu mesmo! :)
Eu já mandei meu curriculo!
:)
Oooooooooow e seu trabalho novo?? Tah legal? Tah gostando?
Depois manda noticias!

chego em 14 dias!

Arnaldo disse...

Olá!! Achei seu blog e gostei muito das informações. Estou me preparando, junto com minha esposa, para imigrar para o Canadá, e um dos nossos planos é estudar frances em Montreal por duas semanas, fazendo 30h por semana. A minha dúvida é em qual escola estudar. Você tem alguma sugestão ?
Obrigado!!