sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Histórias pra contar: o Bicho Não-Identificado

Anteontem à noite fomos à casa do João e da Cláudia pra nos despedirmos do nosso querido amigo Bruno, sobrinho da Cláudia, que voltou pro Brasil ontem. Depois de tomarmos uma cervejinha gelada e comermos o sempre delicioso cachorro-quente da Cláudia, fomos dar um passeio com o Buddy no rio aqui perto a caminho da nossa casa.

Já era pouco mais de meia-noite quando eu, o Wal e o Bruno saímos andando pro rio e lá nos sentamos pra bater um papo e ver o Buddy enrolando a guia em volta da mesa (sair à meia-noite pra ouvir os barulhos do rio, respirar um ar puro e ver patinhos selvagens, isso é uma das coisas que aqui em Montréal podemos fazer sem medo ou preocupação alguma). Foi quando de repente o Wal avistou um bicho, de longe. Como estava escuro, ficamos tentando adivinhar que bicho era aquele que estava destemidamente vindo em nossa direção. A princípio achamos que fosse um gato gordo (aqui se veem muitos gatos gordos), depois pensamos que pudesse ser um esquilo gigante, quando o bicho ameaçou subir no tronco de uma árvore mais próxima de nós. Mas então percebemos que ele somente estava pagando de esquilo e que ele não era capaz de subir em árvore coisa alguma, talvez por causa de sua rechonchudez. Seria uma marmota? Também não. Um raccoon? Talvez. Eu, completamente fascinada com aquela natureza selvagem logo ali, a poucos quarteirões de casa, queria porque queria chegar perto do bicho e, quem sabe, num golpe de sorte, conseguir fazer-lhe um cafuné. O Wal e o Bruno, que levaram consigo sua sensatez para o passeio, não me deixaram correr o risco de ser atacada pelo bicho, claro. Isso porque, além dos motivos normais para não nos aproximarmos do BNI, recentemente já havíamos tido uma experiência não muito agradável com um gambá.

Pausa para essa história. Foi numa noite no quintal no prédio do João. Nós estávamos lá, fazendo um churrasquinho, quando alguém avista um gambá. Quando nos demos conta, o Buddy, que estava livre, leve e solto, já estava correndo atrás do bicho. A sorte foi que o Victor chegou em tempo de separar os dois, se não o estrago teria sido maior. O gambá (que é um bicho lindo, by the way) soltou um jato daquela coisa fedida que eu só tinha visto em desenho animado até hoje e deixou o Buddy fedendo até a semana passada, mesmo depois de tomar uns 500 banhos.

Depois disso, ficamos espertos toda vez que saímos a pé de casa à noite. Mesmo assim, eu queria me aproximar do bicho não-identificado, que parecia ser a coisa mais fofa. A esta altura, o Buddy, completamente enlouquecido pelo animal que se aproximava cada vez mais e nos encarava na maior cara-de-pau, já estava sendo segurado pelo Wal e pelo Bruno. O curioso é que o BNI ficava igual gente, nos olhando por detrás do tronco da árvore, só com a cabecinha aparecendo. Antes de corrermos o risco de repetir a história do Buddy com o gambá, resolvemos sair dali e ir pra casa. Depois de nos despedirmos, a primeira coisa que fiz foi acessar a internet pra descobrir que bicho era aquele. Era mesmo um raccoon (guaxinim ou mapache, em português). Olha ele aí:


Dá vontade de levar pra casa...

B.

9 comentários:

Tatiana disse...

hahah nossa.... raccoon... esse aí até que é 'cute' porque os que eu via em Toronto eram horriveis!!! Lembro uma vez que eu estava falando no celular no quintal da casa onde morei e dei o maior berro qdo uns 2 eu acho apareceram no quintal hahaha
Em Montréal eu nunca vi não, graças a deus hehehe kkkkkk mas esse aí é cute mesmo heheh
Bon weekend!
Tatiana

Sabrina e Henry disse...

Passeios assim de madrugada são muito bons mesmo. Dá uma sensação tão boa! Uma vez avistamos tb um guaxinim andando de bicicleta a noite pela borda do rio e tomamos um susto com ele! Poxa coitado do Buddy com o gamba nunca vi ao vivo e imagino que o cheiro deva ser bem ruim.

Aproveitem o fim de semana.

Beijos
Sabrina

LiliX disse...

ahan Babi...leve pra casa um desse então...rs
Olha eu adoro bixos fofos...mas vc nao gostaria de mnorar com um desses não! Lá em Connecticut eu morava numa casa antiga q tinha uns 4 desses no sotão....OBESOS!! correndo no seu telhado!! parecia gente!ou assombração...rs e pior ainda roubavam comida!
os pestinhas!
rs

André - Karla disse...

Olá! Adorei a história!! rsrs
A vida é feita de coincidências mesmo. Nossa!!
Eu e meu marido somos amigos do Victor e estivemos aí em Montréal por 40 dias. Todos os dias entro em vários blogs para pesquisar inclusive o de vcs. Então lendo a histórias de vcs, vi que era muita coincidência nós conhecermos as mesmas pessoas que vc citou e inclusive o nome do cão. Aliás ele é lindo!
Não sei se fomos apresentados qnd estivemos aí (nós conhecemos tanta gente que ficou difícil memorizar o nome de todos), mas só passei mesmo para contar isso. Infelizmente não fizemos nenhum passeio noturno com o Buddy, pois pegamos mais dias de frio que calor(estivemos no final de abril e o mês todo de maio, mas posso imaginar como foi divertido.
Bom, foi um prazer! Continuem postando! S.V.P.
Au revoir!! Karla.

Leila Vieira disse...

Oi sobrinhos!!!!
Li um pouco do Blog de vocês, mas é muita coisa. Quanto a esses lindos bichinhos,tão bonitinhos quanto fedidos, lá no rancho eles fazem a festa, a noite é claro, porque eles têm vida noturna.Quando resolvem aparecer ninguém dorme, parece a tal vizinha de vocês.Fotografem mais e escrevam menos,as imagens falam por mil palavras,rsrsrs.Beijos!Leila

Bea disse...

Awwwwww que coisa fofa!! Eu quero ele pra mim! Hahahaha

Tudo de bom poder passear à meia-noite sem perigo algum né? =D


Beijos!

out place disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
out place disse...

Que "estória"...hahaha. E que graça de bicho. Acho que também teria vontade de tentar um cafuné...ele não parece apresentar nenhuma hostilidade. Mas pode ter dentes muito bem afiados né, e o pior, estar à caça. rsrsrs. Tudo de bom pro casal, dá pra ver como vcs conseguem ser felizes por aí Grande abraço.

Patinha. disse...

Pessoal,passamos pela mesma situaçao,só que no quintal do ap de baixo do nosso..imaginem só que aquí vimos uma família completa,mae e 4 filhotes! lindos,fofos e gordos,rsrs..delícia ver essa bicharada aquí em Montreal,muito legal mesmo.
Abraços!